ABRINDO PATRIMÔNIOS: OBJETOS, PRÁTICAS E SENTIDOS DO TOMBAMENTO

O propósito deste livro é analisar os processos de tombamento realizados no município de Contagem/MG entre 1998 e 2005, discutindo como o patrimônio cultural local foi construído pelos indivíduos que formaram o Núcleo de Memória da Superintendência de Cultura, órgão vinculado à Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Contagem. Nesse sentido, a ação do poder público municipal de reconhecer edificações como patrimônios não foi compreendida por mim como o resultado dos interesses da sociedade, como se esta fosse um domínio abstrato e separado dos indivíduos, mas uma elaboração intelectual realizada pelos técnicos do Núcleo de Memória. O patrimônio não é uma condição inerente ao objeto, nem somente a decorrência da aplicação de uma legislação, mas o resultado de uma atividade intelectual da pessoa que tem no ambiente seu conteúdo empírico. Os tombamentos em Contagem são um caso interessante para o campo de estudos sobre o patrimônio cultural, em razão de se tratar de uma realidade contrastante com o "patrimônio clássico" (histórico-religioso) de Minas Gerais, representado por Ouro Preto, e por estarem inseridos em um contexto metropolitano.

Informações adicionais

  • Editora: Multifoco
  • Autor(a): Adebal de Andrade Júnior

Deixe um comentário