NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE AS TAXAS COBRADAS DOS ASSOCIADOS DA ANPUH E DOS PARTICIPANTES DO SNH

Em atenção aos questionamentos que temos recebido de alguns sócios quanto aos valores cobrados para participação no Simpósio Nacional de História e também sobre as taxas de anuidade da ANPUH, vimos prestar os esclarecimentos necessários e desfazer impressões equivocadas.

Primeiramente, é importante lembrar que a proposta de aumento nas taxas de anuidade foi apresentada pela Diretoria anterior (com apoio das Diretorias estaduais) à Assembleia Geral da nossa entidade, que a aprovou em julho de 2013, em Natal. O aumento incidiu somente sobre os professores universitários, que passaram a pagar R$ 180,00 no ano de 2014, e R$ 270,00 para o ano de 2015. O aumento foi proposto devido à notória defasagem das anuidades em relação às necessidades financeiras da ANPUH, que tem gastos fixos elevados, mais de R$ 150.000,00 por ano, que se destinam a: pagamento de funcionários e respectivos encargos sociais, estagiários, empresa que presta serviços contábeis e jurídicos, empresa que gerencia o site e os custos de publicação de duas revistas, uma delas com edição em inglês. Naturalmente, referimo-nos aos gastos da ANPUH nacional e vale observar que os valores arrecadados nas anuidades são partilhados com as Seções estaduais (45% para a ANPUH/BR e 55% para a respectiva Seção Estadual). Considerou-se também que os novos valores estavam mais próximos da realidade praticada por entidades semelhantes, que às vezes cobram taxas superiores. No debate realizado à época prevaleceu o entendimento de que os docentes universitários poderiam arcar com o aumento sem grandes sacrifícios.

Portanto, não houve aumento para professores de ensino básico e estudantes de pós-graduação, que continuaram a pagar os mesmos R$ 90,00 que vigoravam antes. A intenção com essa medida, obviamente, é promover maior participação de estudantes de PG e docentes do ensino básico na ANPUH. Para reduzir o impacto do novo valor da anuidade de 2015 sobre os docentes universitários decidiu-se, em reunião conjunta entre a Diretoria nacional e as Seções estaduais, realizada em setembro de 2014, permitir que a anuidade de 2015 fosse quitada com desconto para pagamentos feitos até 31 de março de 2015 (cobrando o valor de 2014, ou seja, R$ 180,00), atitude que não descumpria a decisão da Assembleia Geral, que deve ser respeitada. O valor de R$ 270,00 passará a vigorar efetivamente a partir de abril de 2015.

Quanto aos valores cobrados para participação no SNH 2015, nós tivemos de fazer uma escala, com base nos novos custos da anuidade. Uma das preocupações foi evitar que o pagamento na categoria não sócio ficasse mais barato do que o pagamento da anuidade somada à taxa de inscrição, medida que tem em vista incentivar a vinculação à entidade. Outra grande preocupação foi manter taxas acessíveis para estudantes de PG e docentes de ensino básico. Disso resultou que o custo de participação no SNH 2015, para essas duas categorias, ficou até mais barato do que o montante cobrado há dois anos atrás, em 2013. Na verdade, para o Simpósio de 2015, a única taxa que subiu substancialmente foi aquela cobrada dos não sócios, pela razão já explicada: estimular a filiação à ANPUH. As demais taxas sofreram reajustes pequenos, compatíveis com a inflação do período.

O último esclarecimento é quanto à participação de estudantes de graduação no SNH. A decisão de não permitir a participação deles nos Simpósios Temáticos (apresentando comunicações) data de período anterior e as razões que a motivaram continuam válidas. Não se pode perder de vista o enorme crescimento quantitativo e qualitativo da nossa área nas últimas décadas, sobretudo devido à grande expansão do sistema de pós-graduação, que não está mais concentrado em alguns Estados e Universidades, tendo se espraiado por todo o país, o que é muito positivo, pois implicou ampliação do acesso à pós-graduação e crescimento do corpo docente. A nova realidade gerou aumento notável na procura pelo SNH, seja de docentes, alunos de graduação ou pós-doutorandos, atingindo-se os limites de infraestrutura das IES brasileiras. De outra parte, tornou-se um grande desafio conjugar o gigantismo do evento com a esperada qualidade. Além do mais, as possibilidades das agências de fomento, grandes financiadoras dos eventos, são limitadas, ao que se soma a cobrança crescente em termos de investimentos versus resultados acadêmicos consistentes para a área.

Quanto à suspensão da apresentação de trabalhos de graduandos na forma de banners, tratou-se de decisão da atual Diretoria, amplamente discutida em reunião conjunta com as Seções Estaduais e que contou com aprovação unânime. O entendimento é que essa modalidade de apresentação cabe melhor nos Encontros Estaduais da ANPUH, a juízo das respectivas diretorias e comissões organizadoras, que podem também aceitar apresentação de trabalhos de pesquisa de graduandos nos STs. A despeito de todos os esforços das diretorias anteriores, a experiência tem se mostrado frustrante para os estudantes pois, diante da multiplicidade de atividades, a apresentação dos posters acaba por atrair público diminuto. A situação é diversa nos encontros estaduais, oportunidade em que é possível reservar horário e local mais apropriados, bem como avaliar e premiar trabalhos que se destaquem. Aproximar o estudante de graduação da Seção da ANPUH do seu Estado é um dos objetivos perseguidos pelas diretorias da entidade. Assim, a decisão tomada pelo Conselho da ANPUH não é para inibir a presença dos graduandos nos nossos eventos, ao contrário, trata-se de estimular que participem mais dos Encontros Estaduais. No que toca ao Simpósio Nacional, importa ressalvar, os graduandos são benvindos como alunos dos minicursos e oficinas e como ouvintes nas demais atividades. A propósito, para estimular a sua vinda a Florianópolis a Comissão Organizadora está procurando alternativas para facilitar a hospedagem.

Saudações,

A Diretoria da ANPUH-BR

A Comissão Organizadora do SNH 2015

1 Comentário

  • Tiago 12 Abril 2015

    O auto-financiamento da entidade e do SNH são pontos válidos, mas é estranho que a cobrança dos valores de inscrição nos simpósios seja feita antes do envio das cartas de aceite, e o pior, sem possibilidade de devolução do valor pago em caso de rejeição da comunicação. Isso cria um caixa para o evento e para a ANPUH com o dinheiro daqueles que nem vão apresentar o trabalho, ou sequer viajarão para o SNH. Como diz a própria nota de esclarecimento da ANPUH, muitos historiadores procuram o SNH e é razoável pensar que muitos não terão seus trabalhos aceitos, e só poderão participar como ouvintes. Mas, no caso dos pós-graduandos, as agências de fomento cobrem os custos da viagem, hospedagem e credenciamento apenas para os apresentadores de trabalho, o que significa que, caso tenham suas comunicações rejeitadas, sequer viajarão, para não aumentar o prejuízo.

Deixe um comentário