REVISTA ESBOÇOS

"Diante do atual cenário nacional, marcado pelo aumento dos casos de violência contra gays, lésbicas, travestis e transexuais (no momento em que escrevemos o jovem Diego Vieira Machado, estudante da UFRJ, foi encontrado morto no campus daquela universidade, vítima de homofobia) e pelo recrudescimento de políticas importantes para a comunidade LGBT, por exemplo, a aprovação do PLC 122, projeto de lei que criminaliza a homofobia (relegado ao esquecimento no governo de Michel Temer), é imperativo refletirmos sobre as 'sexualidades disparatadas' (o termo é tomado de empréstimo de Michel Foucault1) e sua visibilidade na disciplina histórica.

O presente dossiê parte desse encontro urgente e esperado entre Clio e as 'sexualidades disparatadas'. Se durante décadas, a historiografia invisibilizou essas experiências que, ao longo da história assumiram diferentes denominações e significados, como veremos nos textos a seguir, nos últimos anos, os olhares de Clio voltaram-se para os clamores dos 'disparatados', revelando que as demandas do presente orientam os usos do passado e contribuem para a reescrita da história."

O dossiê da Revista Esboços foi organizado por Durval Muniz de Albuquerque Júnior e Elias Ferreira Veras.

Além do mencionado dossiê, o novo número da Esboços traz também artigos de outras temáticas, além de uma resenha da obra O Comércio do prazer: prostituição em Guarapuava (1945-1964), de Terezinha Saldanha.

 

 

Informações adicionais

  • Edição: v.23, n.35 (2016)
  • Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Dossiê: Quando Clio encontra as 'sexualidade disparatadas'

Deixe um comentário