NOTA DE REPÚDIO AO FECHAMENTO DA EXPOSIÇÃO QUEER MUSEU EM PORTO ALEGRE EM 10.09.2017

A Associação Nacional de História vem por meio desta expressar sua indignação e consternação diante da abrupta e injustificável interrupção da exposição Queer Museu - Cartografias da diferença na América Latina, em cartaz no Santander Cultural, no Centro de Porto Alegre/RS.

A iniciativa, sob a curadoria de Gaudêncio Fidélis, explorava a diversidade de expressão de gênero e a diferença na arte e na cultura, por meio de mais de 270 obras (oriundas de coleções públicas e privadas), abrangendo amplo período desde o século XX até os dias de hoje. Todavia, alguns dias antes de completar um mês, a exposição foi fechada e encerrada por iniciativa da instituição que cedeu a protestos veiculados nas redes sociais e realizados no próprio local, promovidos por diferentes grupos conservadores.

Com esta atitude, a direção do Santander Cultural, que patrocinava a iniciativa, verga-se de forma inexplicável às pressões de grupos que pretendem estabelecer a censura à arte, promover o patrulhamento contra iniciativas que promovem reflexões sobre a diversidade e impor limites à liberdade de expressão.

Ceder em questões de princípios que fundam as bases de nossa democracia, e que estão plenamente assegurados pela nossa Constituição, significa capitular para projetos pautados pelo obscurantismo e o autoritarismo e que pretendem se instalar em nossa sociedade.

Por isso, nosso repúdio a essa atitude conivente e nossa irrestrita solidariedade com aqueles que, no Brasil, travam uma luta incansável pela afirmação dos direitos de expressão, pelo fim dos preconceitos e pelo respeito às diferenças.

Deixe um comentário