MANIFESTO POR UMA EDUCAÇÃO SEM MORDAÇA

Em defesa da liberdade de ensinar, conforme prevista na Constituição Federal de 1988, e do direito dos estudantes ao conhecimento da História e da verdade, incluindo o estudo do período de ditadura militar, reivindicamos a reintegração do Professor José Mineiro à equipe da Escola Estadual Edson Luiz, assim rebatizada pelo movimento de ocupação dos estudantes de maio e junho de 2016 em substituição à denominação Escola Estadual Ditador Costa e Silva.

Denunciamos a atitude obscurantista e autoritária da Direção da referida instituição e da Primeira Coordenadoria Regional da Educação (CRE) de colocarem à disposição um professor concursado como forma de punição pelo desenvolvimento de um projeto pedagógico coletivo que coloca em debate a memória do país.

Apoiamos a autonomia dos professores na produção de práticas pedagógicas críticas e que vem sendo assediados, perseguidos e removidos das instituições educacionais. Defendemos o direito político e pedagógico de manifestação e de luta por melhores condições de estudo e trabalho.

Considerando o exposto, repudiamos veementemente a censura ao conhecimento e exigimos uma escola sem mordaça!

Porto Alegre, 15 de março de 2017

Assinam:

Área de Ensino de História da Faculdade de Educação da UFRGS

Frente Gaúcha Escola sem Mordaça

Grupo de Trabalho Ensino de História e Educação da Anpuh/RS

Laboratório de Ensino de História e Educação - UFRGS

Pibid História –UFRGS

Associação Nacional de História – Regional Rio Grande do Sul (Anpuh Gaúcha)

Professores de História do Projeto Educacional Alternativa Cidadã (Porto Alegre)

Grupo de Trabalho Ensino de História e Educação da Anpuh-Brasil

Diretoria da ANPUH-Brasil

Deixe um comentário